terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Madeira apreendida ainda aguarda autorização para ser doada


Na semana passada a polícia civil de Coaraci realizou duas apreensões de madeira. A primeira, ocorrida na segunda-feira, dia 14, estava em um carro na cidade de Gongogi. A madeira (7 pranchões e 6 peças de Jequitibá) era transportada por Joselito Alves dos Santos e Umberto Neres dos Santos, que alegaram que a mesma havia sido doada pelo senhor Daniel Cálide, dono da Fazenda Iguape, naquela região. A denúncia partiu de Salvador.

A segunda apreensão, ainda maior, aconteceu na quarta-feira (16), onde, a partir de uma denúncia anônima, a polícia encontrou na Fazenda Juçara, na região dos Macacos, 223 pranchões e 70 barrotes (ou morrões). Segundo informações da polícia a madeira pertencia a Luiz Henrique Bichara.

Toda a madeira foi apreendida e agora aguarda autorização judicial para ser doada para instituições filantrópicas da cidade.

Segundo a delegada Valéria Fonseca, a pena no caso do corte ilegal de árvore vai de 1 à 3 anos; já para o transporte, é d 6 meses à 1 ano d prisão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário