terça-feira, 8 de março de 2011

Não merecemos, mas Deus nos ama

Cada vez que conheço mais um pedacinho do iceberg que é Deus, eu me constranjo ainda mais e me coloco em meu lugar: de nada, de inútil, de saco de lixo furado, não merecedor da graça do Senhor. Este é o meu sentimento por ser tão pecador e mesmo assim Deus me amar tanto ao ponto de ter entregado seu próprio filho por amor de mim. Minha vida não valia tanto, as nossas vidas não valiam nada, mas Ele nos amou tanto que mesmo sabendo quem éramos, resolveu nos comprar com preço de sangue.

Deus pagou a si mesmo o preço pelas nossas miseráveis vidas. Nós não merecíamos! Mas Ele enviou Jesus para padecer e morrer pregado naquela cruz, por amor de nós. É isso que nos diz a Sua Palavra em Romanos 5.8: “Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores”.

Queridos, e a cada dia que vejo a podridão humana, a nossa ingratidão, as nossas murmurações e em contrapartida o amor de Deus, me sinto como Paulo, constrangido (“Porque o amor de Cristo nos constrange...” -- II Coríntios 5.14). Porque nenhum de nós conseguimos ser segundo o coração de Deus devido ao pecado que nos foi imputado, que milita contra o Espírito que também habita em nós (“Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis” -- Gálatas 5.17).

“Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só” (Romanos 3.12). “Mas agora se manifestou sem a lei a justiça de Deus, tendo o testemunho da lei e dos profetas...” (idem 3.21)

Não merecemos, mas Ele nos ama. Adoremos a Deus!

Nenhum comentário:

Postar um comentário