segunda-feira, 25 de abril de 2011

Governo da BA propõe novo acordo, mas avisa: só negocia se os professores voltarem ao trabalho

Em resposta ao Fórum das ADs, que questionou (na reunião do dia 15/04), sobre a revisão da cláusula restritiva da Campanha Salarial 2010 e sobre o processo de negociação com a categoria, o governo do estado da Bahia, através do Coordenador de Desenvolvimento da Educação Superior (CODES), Clóvis Caribé, e do Superintendente de Recursos Humanos da Secretaria da Administração (SAEB), Adriano Tambone informou, na quarta-feira (20), que mantém “a proposta econômica nos termos acordados na mesa de negociação e propõe a alteração ao item 2”. Porém, avisou: o acordo só será assinado se a categoria colocar um ponto final na greve. Caso contrário não tem negociação.

Pelo novo texto, todos os servidores públicos estaduais terão novos reajustes anuais, o que não era possível anteriormente. 

“A incorporação descrita no item 1 compõe o Acordo Salarial da Mesa Setorial do Magistério Superior para os exercícios de 2011 a 2014 e será efetivada sem prejuízo do reajuste geral anual dos servidores públicos estaduais, concluindo as negociações sobre incorporações e ganhos reais de salários. Quaisquer outras reivindicações que impliquem em impacto financeiro sobre os salários serão objeto de discussão em Mesa Setorial e, caso acordadas, terão seus efeitos financeiros vigentes a partir de 2015”, diz o novo texto da cláusula. A parte destacada não havia na versão anterior.

Agora os professores devem decidir sobre o fim ou não da greve que dura mais de 15 dias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário