quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Aécio: decreto de Dilma põe Congresso de 'cócoras'

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), subiu à tribuna da sessão do Congresso Nacional nesta quarta-feira (4) para, em tom bastante exaltado, dizer que a presidente Dilma Rousseff coloca o Legislativo de “cócoras” e coloca “preço” nos parlamentares ao condicionar a liberação de emendas à aprovação do projeto que derruba a meta fiscal prevista para 2014. 

O decreto presidencial autoriza a liberação de mais R$ 444 milhões para o pagamento de emendas parlamentares, verbas usadas por deputados e senadores para bancar obras em seus redutos eleitorais. No entanto, atrela a verba à aprovação do projeto da meta fiscal, de interesse do governo. Com o decreto, cada parlamentar passaria a ter direito a cerca de R$ 750 mil a mais. 

“Hoje a presidente coloca de cócoras o Congresso Nacional ao estabelecer que cada parlamentar tem um preço. Os senhores que votarem a favor dessa mudança valem 748 mil reais. Essa é uma violência nunca vista nessa casa. Eu estarei aqui atento ao cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal”, disse Aécio, com dedo em riste. 

Para Aécio Neves, o projeto apresentado pelo governo federal “fere de morte” a Lei de Responsabilidade Fiscal. “Busca-se dar à presidente da República a anistia pelo crime de responsabilidade por ela já cometido”, afirmou. 

APROVADO

Mesmo diante dos protestos da oposição e depois de mais de 18 horas de votação, o texto do projeto governista que derruba a meta fiscal foi aprovado pelo Congresso. / Informações do G1.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário