segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Sem merenda escolar, alunos recebem uma laranja no lanche nas escolas de Coaraci

Vereadora denuncia "piti" de irmã da prefeita, que alega: "economizar".

Criança decepcionada com o lanche pobre (Foto: divulgação)
Genisson Santos, de S. Paulo - Os alunos da rede municipal de ensino de Coaraci têm passado fome na hora do recreio. É que a merenda escolar, que deveria seguir um cardápio estabelecido por um nutricionista, não tem sido muito nutritiva nos últimos tempos. 

Na última sexta-feira, 14, os estudantes tiveram que se contentar com uma mísera laranja na hora do lanche.

Vereadora denuncia o caso
Segundo denúncia da vereadora Rúbia Nascimento, o cardápio que já não é dos melhores, foi suspenso por um piti da irmã da prefeita. A alegação seria "economizar", apesar da prefeitura ter gastado mais de R$ 200 mil na realização da festa de São João e pretender investir meio milhão de reais em estruturas para eventos de suas secretarias, como denunciamos aqui.

"É uma falta de respeito com os alunos de nossa cidade e também com as funcionárias que tiveram que descascar quatro mil e duzentas laranjas na mão", ressalta a vereadora Rúbia, que falou com nossa redação via whatsapp. Ela lembra ainda que muitos estudantes só vão para a escola por conta do lanche.

Para a vereadora, o fato é inaceitável, já que o município possui uma das maiores arrecadações da região, angariando cerca de R$ 2.800.000,00 (dois milhões e oitocentos mil reais) por mês. 

"Para a merenda escolar, a verba que vem pra merenda é cerca de R$ 42 a R$ 45 mil por mês", esclarece. 

Prateleiras vazias. Crise? (Foto: Divulgação)
Mas a crise deve ter atingido realmente a Secretaria de Educação, já ao que tudo indica está faltando dinheiro no caixa. As prateleiras da dispensa na casa da merenda completamente vazias retrata a falta de respeito com as crianças que precisam da merenda escolar. O caso absurdo provoca revolta.

Trabalheira: 4.200 laranjas descascadas na mão 
Rúbia ainda aproveita para criticar o estado de calamidade em que se encontra a cidade. Ela cita a buraqueira que domina as ruas, a Central de Abastecimento que necessita de reforma e ainda fala das obras inacabadas.

O OUTRO LADO 

Por telefone, tentamos insistentemente contato com a secretária de educação do município, Maria das Neves, para falar sobre o caso, mas não conseguimos contato. 

Um comentário: