terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Funcionário da prefeitura usa requisições médicas em branco para “fazer política”

Carlos Maia diz que irá denunciar caso ao Ministério Público e ao CRM
Marcos Freitas, chefe do transporte da Saúde, usava requisições visando votos (Foto: Divulgação)
O coordenador do setor de transporte da secretaria de saúde da Prefeitura de Coaraci, Marcos Freitas, estaria usando requisições médicas em branco para ‘fazer política’. A denúncia foi feita pelo vereador Carlos Maia. 

Denúncia foi feita pelo vereador Carlos Maia
Segundo a denúncia, a médica cubana Kelly Sanches, do Programa Mais Médicos, assinava centenas de requisições em branco e passava às mãos do coordenador, que preenchia como queria. As requisições serviam como prestação de “favores” à população. 

O interesse do coordenador seria consegui a simpatia dos cidadãos, já que ele é pré-candidato a vereador. 

Em plenário, Maia mostrou quatro destas requisições assinadas pela doutora Sanches. O vereador disse que irá denunciar a médica ao Conselho Regional de Medicina e ao Ministério Público. 

PRÁTICA ILEGAL 

O Código de Ética Médica, em seu artigo 11 diz que é vedado ao médico “assinar em branco folhas de receituários, atestados, laudos ou quaisquer outros documentos médicos”. 

Procurado pelo Fato Entre Aspas, o funcionário Marcos Freitas negou que tenha utilizado requisições médicas em branco. Disse ainda que não há provas contra ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário