domingo, 17 de janeiro de 2016

"Facções do PT brigam e o povo paga o pato", dispara Aleluia

Presidente do DEM baiano (Foto: Divulgação)
"As brigas de facções dentro do PT se reproduzem em Brasília e na Bahia”, disparou o deputado federal José Carlos Aleluia (DEM), sobre as denúncias contra o ministro Jaques Wagner e o embate do ex-secretário estadual de saúde Jorge Solla com o atual governador Rui Costa. “Tanto lá quanto aqui o que há é disputa pelo poder e quem paga o pato é o povo”, afirmou o em entrevista à uma rádio na última sexta-feira (15). 

Para o presidente estadual do Democratas, Jaques Wagner, que estava se lançando como provável sucessor de Dilma, foi abrir a boca para dizer que o PT se lambuzou no poder, como se fosse o único limpo da história, e logo sofreu o bombardeio de fatos que comprometem as suas gestões como governador da Bahia em uma série de atos ilícitos. 

“Foram os próprios companheiros petistas que, revoltados com a desfaçatez do ex-governador baiano, estimularam o vazamento das informações contra Jaques Wagner. Diante de tanta lambança, cabe agora ao atual ministro da Casa Civil de Dilma se afastar do cargo para se defender”, assinalou o deputado democrata. 


Na opinião de Aleluia, até provar que não tem nada a ver com o revelado nos depoimentos de envolvidos na operação Lava Jato, que o acusaram de uso de dinheiro desviado da Petrobras para financiar sua campanha a governador em 2006, Wagner não tem condições de continuar sendo o articulador da presidente Dilma Rousseff. 

Quanto à querela estadual do deputado Jorge Solla com o governador Rui Costa em relação à gestão da saúde pública no estado, Aleluia avalia que há também uma briga entre facções pelo controle da secretaria. “Quem perdeu o poder, no caso, o ex-secretário Jorge Solla, está reclamando o seu quinhão. E nesta disputa quem fica no prejuízo é o povo baiano que continua sofrendo sem uma assistência digna à saúde. Cabe ao governador Rui Costa resolver o problema. Ele é o principal responsável por tudo de errado que há na saúde”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário